quarta-feira, 12 de junho de 2019

13 dias de Teodoro

Há 17 dias estou em férias.
Voltaria a trabalhar 2ª feira, dia 17.
Mas...😔

Quando eu entrei de férias, eu tinha uma ex-esposa internada, grávida de um filho meu, aliás, nosso. Ela havia brigado comigo, até aí tudo normal.

De lá para cá meu mundo simplesmente mudou de uma forma que jamais será o mesmo.

"Houston, we have a problem."

Teodoro esteve em meus braços por 13 dias.
Foi a experiência de vida mais intensa que eu já vivi.
Eu nunca pensei que ser pai iria doer tanto.
Ele cumpriu uma jornada relâmpago e ninguém se preparou para isso, mas isso é problema meu, não dele.

Respire, pai... respire.

Ele foi maravilhoso enquanto esteve aqui, nos meus braços, deixando o choro quando eu tirava ele do berço da UTI e ficava com ele no colo.
Aqueles olhos azuis escuros e profundos, conhecendo o pai, conhecendo o mundo, se acalmavam de forma tão gratuita quando eu oferecia apenas um colo, um cantarolar de "Como é grande o meu amor por você".

Respire, pai... respire.

Foi mágico o que eu vivi.
Intenso, profundo e transformador.
Tudo dói muito ainda, sei bem que será assim por um bom tempo adiante. É normal, provavelmente natural, mas é preciso honrar a passagem do pequeno guerreiro. Preciso ser o guerreiro que ele me ensinou a ser, ao lutar cada dia para permanecer aqui, para estar mais um dia entre nós.

Respire, pai... respire.

Resido no mesmo apartamento, mas não é meu lar.
Tenho o mesmo emprego, mas tanto faz.
Ao redor as coisas estão lá, iguais, mas completamente diferentes.

Volto a trabalhar semana que vem, morando sozinho, sem esposa, sem filho e, por enquanto, sem rumo.