sábado, 24 de agosto de 2013

Relacionamento, um assunto inadimissível



TODO blogueiro (amador ou profissional) que tem um relacionamento (destes que são registrados em cartório, sabe?) passa pelo mesmo arrego que eu: é impossível falar de relacionamento sem que as pessoas afirmem que você está falando do seu.

É uma triste realidade que nos impede de escrever MUITAS verdades, que servem para MUITA gente e que poderiam ajudar muita gente a amadurecer, inclusive EU.

Mas fazer o quê se estamos rodeados de acusadores na internet!? O jeito é deixar estas ideias pras conversas de bar. Há bem menos juízes e fiscais nas mesas de bar que frequento... AINDA BEM!!!

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Devaneios: "E se eu ganhasse na Mega-Sena ??!"

Considerando a possibilidade ínfima de eu ser o único ganhador do prêmio máximo da Mega-Sena, decidi trazer à tona como eu planejo que seja, CASO, eu seja premiado.

Farei a enumeração dos fatos contando como D0 (zero) e como minha vida sofreria mudanças APENAS com prêmios à maiores que R$10.000.000,00 (10 milhões), partirei deste valor.

D0

GANHEI!!! Prêmio: 10 milhões de reais brasileiros.

D+1

Encontraria uma forma de receber o prêmio sem que nem um mísero parente/familiar/amigo tome conhecimento;

D+2 ao D+[próximas férias]

Trabalharia normalmente, comprando meu gadgets aqui e acolá, sem cair na bobagem de deixar transparecer a situação absurdamente gorda da minha conta;

Durante as férias

Encontraria uma forma de tornar meus empreendimentos das internet rentáveis. Não precisa ser muito, basta que sejam próximos de auto-sustentáveis;

Após as férias

Não voltaria das férias até ser demitido por abandono de emprego.
Motivo alegado: absoluto estresse e impaciência com a empresa. (OBS: na verdade o contexto já é este, só que numa versão vida real eu não posso abrir mão deste emprego... por enquanto...)

Compras

Até segunda ordem, só coisas simples. Um PUTA computador, um PUTA notebook, o melhor Android disponível no mercado (tanto smartphone quanto tablet), possivelmente um daqueles novos relógios que se integram com o celular (exemplo: SmartWatch da Sony). Nada de comprar carro ou imóveis, não MESMO! Roupas, algumas poucas, talvez, mas nada de palhaçada, apenas algumas trocas de uma blusa nova igual a desgastada atual.

Família

Ajudaria minha mãe, irmã e "cabô", já tá bom demais.
Ah, e claro, inventaria alguma forma de ajudar minha avó... nem que seja presenteando ela com coisas que facilitem a vida dela.
Certamente presentearia meu tio (Padin!!) com uma televisão pra "nossa" (a família tomou posse da churrasqueira dele, rs) churrasqueira.
Papai também ganharia presentes, mas puramente à título de presente mesmo, porque ajuda ele não precisa (mas eu ainda preciso, viu pai!? Toda ajuda é mais que bem vinda!)

Filantropia

Em algum momento, COM CERTEZA, mas fica para um segundo momento, depois que eu abandonar o emprego e equilibrar a equação "patrimônio x despesa x manutenção". Começarei pela turma que precisa de ajuda MAS que já correm atrás, gente que sua até a última gota e no fim do mês ganha o mísero do salário mínimo (ou menos, como ainda acontece... e muito!). Ajudar preguiçoso, JAMAIS.
Religião também não vai levar NEM MEIO CENTAVO meu. Mas se tiver como eu pagar para acabar com elas, me avisem que mesmo sem Mega-Sena eu pago.

Regra Geral Básica

Eu tiraria - como renda - 60% do rendimento mensal do prêmio.
Exemplo: se o prêmio foi de 10 milhões, na Poupança renderia 50 mil/mês. Eu teria como renda 30 mil/mês.... é, acho que dá pra sobreviver com isto.
Tem gente em Brasília fazendo MUITO esforço pra sobreviver ganhando SÓ ISSO!! Coitadinhos...

Por quê 60%?

Porque assim 40% do rendimento/lucro permanece no saldo, evitando perdas por causa de inflação e atualizações monetárias.


Sonhar ainda está de graça... (mas apenas porque não encontraram uma forma de tributar, claro!)